sexta-feira, março 16, 2007

Em defesa da Filosofia



Foto de Salsolakali


No Expresso deste sábado, dia 13 de Janeiro, António Guerreiro vem a público defender a Filosofia. Considerando que hoje nada mais é que um "ornamento cultural" porque "fala um idioma que não triunfou" , entrou em desencantamento juntamente com as outras ciências humanas e, mesmo assim ,resiste, a Filosofia parece ser a mal amada do actual sistema de ensino.
Foto de M. Afonso
Razões para a sua obscuridade? "não fornece uma formação específica, não é susceptível de se adaptar aos fins da tecnologia, não forma o aluno para nada. Em suma: é um luxo... " O autor bate o pé. Exalta os ânimos. En garde! Filósofos! O momento é de luta. E é. De luta.
Parafraseando Susan Sontag no seu livro " Contra a Interpretação" quando diz: " Desde agora, e enquanto existir a consciência humana , estamos devotados à tarefa de defender a Arte" ; nós dizemos: " Desde agora, e enquanto existir a consciência humana, estamos devotados à tarefa de defender a Filosofia."

posted by feras
Saturday, December 16, 2006

2 comentários:

Alexandre Poço disse...

A filosofia tem a sua piada e é bem recebida por todos quando abre um espaço de crítica e permite a cada um formar uma teoria acerca de um tema e justifica-la com argumentos válidos!
O problema que se coloca é que a Filosofia enquanto disciplina do sistema de ensino torna-se "chata" na medida em que os alunos possuem poucos tópicos e temas sobre os quais podem argumentar...ou seja FILOSOFAR, em vez disso somos obrigados a ter de saber de cor as posições deste e daquele filósofo que muitas vezes nem sequer se encontram devidamente fundamentadas, logo, penso que a Filosofia enquanto parte do sistema de ensino teria mais a ganhar se fosse uma disciplina com um maior senso crítico, subjectivo talvez mas sem entrar em ofensas e demagogias, mas essencialmente, um espaço onde se refutam e credibilizam teorias...Até lá penso que a Filosofia vai continuar a ser o "patinho feio" do ensino.

Cumprimentos

Carlos Marques e Helena Serrão disse...

Alexandre: A questão da Filosofia e do seu ensino gera controvérsia, mais que qualquer outra disciplina, a questão de saber se a Filosofia é ou não "ensinável" gera teses contrárias sem consenso. Se se resume Filosofia à História da Filosofia, então tem toda a razão, é pouco, não é verdadeiramente essa a sua vocação e apesar de ser também importante saber, a Filosofia não se resume ao Saber, embora cada corpo de "saberes" seja suscepível de discussão e refutação. Por outro lado, penso que o essencial de aprender Filosofia é a abertura mental e o exercício do pensamento, sobre qualquer um dos temas isso é possível, nesse campo ninguém discute no vácuo, é preciso ter os instrumentos para o fazer. Dar instrumentos para poder pensar as questões é a tarefa da Filosofia, isto é, possibilitar a construção e a avaliação de argumentos, colocar novas questões sobre as quais não pensamos amiúde. Portanto e para concluir, cada ideia transmitida ou cada "saber" é suscepível de ser pensado e não apenas copiado ou decorado.
Acredito que sejam "chatas" as explicações mas há matérias que têm de ser assim e não de outro modo, isto é,por exemplo: é preciso saber as regras, (compreendendo-as!) para saber se um argumento dedutivo é válido ou não.São estas matérias que podem ser avaliadas objectivamente.
Agradecemos o seu comentário.

Helena Serrão