quinta-feira, outubro 16, 2008

Porque diverte a Filosofia?

O que a filosofia nos ensina é a reflectir sobre o que já sabemos de uma forma particularmente cuidadosa e considerada. É verdadeiramente surpreendente a quantidade de problemas que emergem deste tipo de reflexão! (...)
(…) aquilo que a maior parte dos filósofos escreve é demasiado técnico e especializado. É pena. A filosofia é excitante e importante; e é compreensível por toda a gente. (…) Os filósofos académicos procuram escrever da forma mais racional possível. Na busca da verdade, criticam as ideias uns dos outros impiedosamente. Isto leva a controvérsias mais do que a certezas reconfortantes, o que não é do agrado de muita gente. É também pena que assim seja. As controvérsias são divertidas e esclarecedoras. A filosofia é uma demanda intelectual com regras rigorosas concebidas para nos ajudar a perceber o que é realmente verdadeiro. 

Earl Conee & Theodor Sider, Riddles of Existence. A Guided Tour to Metaphysics (Oxford & New Yok, 2005). Trad. Carlos Marques.

2 comentários:

pseudo-physis disse...

A filosofia tem de facto a sua diversão. Mas não deixa de ser um "ramo" bastante complicado, especialmente para certas mentes actuais, que tendem em inclinar para as ciências. Infelizmente hoje ainda se actua na filosofia como se actuava desde os tempos de aristóteles. Ou seja a filosofia contribui sim, para desenvolver a mente humana de uma maneira diferente, de uma maneira geralmente impoerfeita, mas em comparação com a Ciencia tem estado sempre um pé atrás no que toca à evoluçao. A filosofia pode ser divertida sim, mas hoje em dia é vista como uma "seca", e que nada contribui para o aluno. Penso que contribui, mas da forma como o programa filosófico está estruturado, não passa apenas de mais uma matéria que é preciso saber, e não perceber. E neste caso até Aristóteles ficava trise. Terá isto lógica?

Carlos Marques e Helena Serrão disse...

Caro pseudo-physis,
Gostaria de referir que aprecio muito a sua disponibilidade para comentar os textos do logosfera. É sinal de que a filosofia lhe desperta interessa e que, portanto, é uma pessoa inteligente.
Quanto ao seu comentário, dou-lhe toda a razão quando se refere à estrutura e abordagem infelizes do programa de filosofia do nosso secundário. Ele não contribui em nada para que as pessoas inteligentes possam ver na filosofia uma disciplina divertida. A filosofia não consiste em saber o que disseram os filósofos. Consiste em problemas que carecem de solução. O interesse em estudar os filósofos está no facto de eles terem posto a nu esses problmas e tentado soluções para os resolver, através de argumentos. A filosofia diverte todos aqueles que gostam de desafios intelectuais e de procurar resolver enigmas que desafiam a nossa compreensão. Parece-me que o caro pseudo-physis é uma dessas pessoas.
Não queria deixar de acrescentar ainda o seguinte. A filosofia não seopõe às ciências. As ciências também despertam nas pessoas curiosas o mesmo entusiasmo que podemos encontrar na filosofia. Tentar compreender os enigmas do universo físico, dos fenómenos biológicos, etc. (ciência) é talvez tão fascinante como tentar encontrar alguma saída para as questões mais profundas que se colocam à humanidade (filosofia).