segunda-feira, novembro 10, 2008

BEM ESCREVER


Estas são regras que fui adoptando ao longo dos anos, com o fim de permanecer invisível quando escrevo um livro; que me ajudam a mostrar, em vez de contar, o que se passa na história. Se tem jeito para as palavras, para criar imagens e se sente feliz com o som da sua voz, não é a invisibilidade aquilo que procura e pode ignorar as regras. Em todo o caso, pode dar-lhes uma vista de olhos.


1.
Nunca começar um livro falando do tempo.

2.
Evitar prólogos.

3.
Nunca introduzir um diálogo a não ser com a forma verbal “disse”.

4.
Nunca usar um advérbio para qualificar a forma verbal “disse”.

5.
Manter os pontos de exclamação sob controlo. Não se deve usar mais do que dois ou três por 100 000 palavras.

6.
Nunca usar as expressões “subitamente” ou “que grande confusão”.

7.
Usar dialectos regionais ou patoás com parcimónia.

8.
Evitar descrições pormenorizadas dos personagens.

9.
Não entrar em grandes pormenores ao descrever lugares ou coisas.

10.
Procurar excluir aquelas partes que os leitores tendem a saltar.


Elmore Leonard, Ten Rules of Writing (New York, 2007). Tradução Carlos Marques.

* Elmore Leonard (1925- ) é um grande escritor americano que se tem ultimamente dedicado aos thrillers e à literatura policial, apesar de no início da sua carreira ter escrito sobretudo westerns. São famosos alguns filmes baseados em obras suas, como Jackie Brown ou Be Cool. Os pontos fortes do seu estilo são os seus diálogos vívidos e o realismo que imprime nos seus personagens e ambientes.

4 comentários:

Rolando Almeida disse...

Colegas,
Destaquei o Logosfera no blog da Crítica. O vosso trabalho tem melhorado muito. Tenho de começar a fazer um arquivo do que vão publicando, como faço para todos os blogs que gosto :-)
abraço e continuação

Carlos Marques e Helena Serrão disse...

Olá Rolando,
Obrigado pela simpatia de sempre. Estamos também atentos à tua página. Muito informativa.

rafael disse...

essa receita é mesmo uma receita!

estava aqui a lê-la e a lembrar-me do magnífico livro do "man without qualities", do Musil, que começa, magistralmente, a falar do tempo.

um dos melhores e mais impressionantes começos de livros que já li.

(abraços a todos)

Carlos Marques e Helena Serrão disse...

Caro Rafael

Bem observado. Tb. concordo que o início de o Homem sem Qualidades é do melhor. Lembro-me tb. do Moby Dick (embora não fale do tempo).
Desconfio que o Elmore Leonard está, pelo menos até certo ponto, a ser irónico.
Eu só traduzi as regras. No livro ele comenta-as e, frequentemente, diz (após aconselhar à observação da regra), a não ser que seja.... e depois nomeia um escritor de renome.
Há sempre excepções. Se o Rafael escreve, porque não tenta escrever um livro DESRESPEITANDO TODAS as regras? Teria piada ver o que sucederia.
Carlos Marques