sexta-feira, fevereiro 12, 2010

Ser ético

Christopher Anderson, moda, 2006

Suponhamos que César Bórgia dizia:  " O meu princípio ético é este: piso tanto quanto posso os dedos dos pés dos outros homens." (...) Princípio ético! Nem tudo é um princípio ético. Como se identifica um princípio ético? Isto levou-nos ao uso do termo "ético". Que nada tem de preciso, evidentemente. Um princípio é ético devido às suas circunstâncias. Que "circunstâncias"? Podemos imaginar "circunstâncias" em que se justifica e se exige que gozemos o sofrimento, o sofrimento dos maus, por exemplo. Seja como for, há concerteza limites para aquilo que é um princípio ético.
(...)
Pelo caminho , enquanto subíamos, ele (Wittgenstein) começou a falar do ensino da ética. Impossível! Considera que a ética diz a alguém o que essa pessoa deve fazer. Mas como poderá seja quem for aconselhar outrem? Imaginemos alguém que aconselha outra pessoa que está apaixonada e prestes a casar-se, indicando-lhe todas as coisas que não poderá fazer se se casar. Que imbecilidade! Como pode alguém saber essas coisas da vida de outro homem?

O.K. Bouwsma, Conversas com Wittgenstein, Relógio d'Água, 2005,p.p.48,91


O conceito de ética presta-se a muitas confusões, a maior das quais reside na amplitude das coisas a que se  refere.Assim, ético é não só o princípio universal ou máxima universal da acção mas também as máximas universalizáveis, isto é, correctas para todos. Resumindo: é ético o que é do domínio dos princípios da acção e também o que são os princípios correctos da acção, o que se refere ao comportamento em geral mas também ao comportamento bom, nesse sentido haverá uma ética boa e uma ética má ou só é ético o comportamento bom ou correcto? O comportamento de um nazi não tem ética ou é eticamente incorrecto? Certamente que obedece a princípios éticos como o exemplo de César Bórgia : "O meu princípio é pisar os dedos dos pés de todos os homens."Será um mau princípio ético ou apenas, não é ético? Ou depende das circunstâncias? Estas e outras questões tornam o ensino da Ética muito complicado.

Helena Serrão

2 comentários:

Carlos Chagas disse...

Pensando os Nazi, enquanto um grupo de pessoas que pensam algo, possuem sim uma ética e boa para o grupo. Pensando os Nazi com um grupo interrelacionado com os demais grupos da sociedade haverá choques que devem ser analisados pois algo eticamente incorreto emergirá. Pergunta muito interessante para se pensar... Obrigado!

Carlos Marques e Helena Serrão disse...

Carlos Chagas: em primeiro lugar obrigada por ter comentado este texto e bem-vindo a este espaço.
se os princípios éticos como "devemos todos ser patrióticos e defender o nosso povo " que podem ter sido alguns dos princípios nazis, parecem até aceitáveis. As máximas das acções que foram realizadas para concretizar o princípio não podem ser aceites nem são de modo nenhum éticas, não só porque produziram um sofrimento continuado e irreparável como de modo nenhum poderiam ser aceites. Posso matar para preservar o meu povo, mesmo que aquele que eu mato nada tenha feito para o ameaçar? Posso, mas não posso querer que isso seja para todos, não posso querer que seja universalizável, daí não me parece que a Ética se possa colocar nos princípios gerais mas na análise das acções concretas.Como um limite ou fronteira que nos impõe deveres para com a humanidade e não apenas perante o grupo.
helena serrão